Histórico

o-colegioO Instituto Batista de Santarém teve suas portas abertas em primeiro de março de 1948, concretização de um sonho muito tempo acalentado pelos batistas do Baixo Amazonas. Foi em novembro de 1947 que, reunida a “Convenção Batista Paraense” (hoje Convenção Batista do Pará), resolveu criar esta casa de ensino em Santarém, “cuja finalidade seria contribuir para a difusão do ensino eficiente e do desenvolvimento intelectual e moral” da região. Seu primeiro prédio situava-se na Av. Floriano Peixoto, nº 557.

onezima-pereiraIniciou o seu trabalho sob a orientação técnica da professora Onésia Pereira de Barros, com treze anos de magistério laureado, na capital de nosso Estado, e com a vice-direção da professora Damáris Silva, recém-formada pela Escola de Trabalhadoras Cristãs de Recife, Estado de Pernambuco. No boletim informativo dizia: “Por defendermos o princípio da liberdade de cons-ciência, será respeitado qualquer credo religioso, filosófico ou político”.

A matrícula inicial foi de 248 alunos e os primeiros professores foram: Damáris Silva, Almerinda Pena, Pastor Sóstenes Pereira de Barros e Onésima Barros. Logo se tornou necessário um internato que por muitos anos obrigou jovens que vinham de longe estudar em Santarém.

pr-sostenesEm 1952 a “Missão Batista Equatorial” presenteia o colégio com o prédio atual, na Avenida Mendonça Furtado, local afastado do centro a ponto de dar alguma preocupação sobre se tal distância prejudicaria o número de alunos. Nada houve, porém.

A entidade mantedora do IBS é a Convenção Batista do Pará, mas para dinamizar as atividades, foi criada uma Junta Administrativa. De lá pra cá muitas Juntas Administrativas já foram formadas e desenvolveram eficiente trabalho de assessoria real aos diretores da Instituição. Na gestão do Pastor Sóstenes Pereira de Barros o IBS teve um notável surto de progresso. Foi quando o patrimônio se alargou, com a aquisição de terrenos, a vida espiritual da alunada foi carinhosamente tratada, promovendo um crescimento significativo na maneira de buscar a Presença de Deus através de Jesus Cristo. No dia lº de maio de 1984, a convite do Governo do Estado, uma equipe de professores e administradores do Instituto Batista de Santarém organiza e funda o Colégio Álvaro Adolfo da Silveira, o primeiro de Santarém. Sua primeira diretora foi a profª Onésima Pereira de Barros.
o-colegio-2Tão grande tem sido, através dos anos, a contribuição do Instituto Batista de Santarém que não se pode esconder o seu entrosamento com a vida santarena. Muitos de seus filhos integram a vida da região, dando de si mesmo para o progresso do Baixo Amazonas e com isso trazem louros e honras sobre o seu colégio.

Até este ano de 2012, já passaram pela direção da escola 19 diretores sendo eles: de 1948 a 1955 Prof. Onésima Pereira de Barros; 1956 Prof. Zulmira Gonzales; de 1957 a 1965 Prof. e Pr. Sóstenes Pereira de Barros, diretor do Curso Ginasial; de 1957 a 1965 a Profª. Rute Pessoa, diretora do Curso Primário; de 1964 a 1966 a Profª Heloisa Pessoa, diretora do Curso Primário; de 1965 a 1968 a Profª Onésima Pereira de Barros como diretora geral da instituição; de 1967 a 1977 a Profª Léa Piza Moreira, como diretora do Curso Primário; no primeiro semestre de 1969 assume a direção geral da instituição o Prof. Osvaldo Silva e Silva e no segundo semestre de 1969 a Profª Onésima Pereira de Barros e continua como diretora geral até o ano de 1973; de 1974 a 1977 assume a direção da escola o Prof. Ebenezer Silveira Coelho; de 1978 a 1986 assume a direção da escola o Prof. Mauricio Gomes Castanho; de 1987 a 1989 a Profª e Missionária Margarida Lemos Gonçalves; no primeiro semestre do ano de 1990 o Pr. Inabel Araújo e no segundo semestre a Missionária Beth Smith até o ano de 1992 e em maio do mesmo ano a direção da escola para a Prof. Léa Piza Moreira que assume a direção da escola até fevereiro de 1994, quando então passa a direção para o Pr. Washington Lima Correa que conduz a direção da escola até o ano 2000; de pois que a escola passou a ter uma Cooperativa como mantenedora, a Profª Dilma Pantoja Williams assume a direção da escola de 2001 a 2005 e desde 2006 está na direção da escola a Profª Railena Queiroz Correa.

batista-sanntaremDesde o ano de 1948, o colégio já teve 5 nomes, sendo que um deles voltou a ser repetido. Os nomes são: Instituto Batista de Santarém; Ginásio Batista de Santarém; Colégio Batista de Santarém; Colégio Batista Sóstenes Pereira de Barros e hoje Colégio Batista de Santarém.

Desde 1948 até 24 de janeiro de 2001, o Colégio teve como entidade mantenedora a Convenção Batista do Pará. A partir daí é mantido por uma Cooperativa de Educação formada por professores e funcionários cooperados do próprio colégio que tem como objetivo formar cidadãos verdadeiros, comprometidos com valores cristãos, capacitando-os a constituírem uma sociedade mais justa e solidária, reconhecendo em tudo a soberania de Deus. Como presidente desta Cooperativa, temos a Profª Dilma Pantoja Williams como sua primeira Presidente.

Hoje, a filosofia do Colégio Batista de Santarém tem por base princípios cristãos, para alcançar o educando de maneira abrangente no ser e no ter, fundamentado no exemplo do Pedagogo por Excelência, “Jesus Cristo”, que ensinou, deu exemplo de vida, foi competente e capaz no exercício do viver diário, respeitando, amando e valorizando o outro sem distinção. Tem como visão empreender todos os nossos esforços no seguimento educacional, indo além da expectativa do cliente e como missão formar cidadãos verdadeiros, comprometidos com valores cristãos, capacitando-os a constituírem uma sociedade mais justa e solidária.

colegio-batista-santarem

O Colégio Batista de Santarém, não é para a sociedade santarena somente mais um colégio, é sinônimo de tradição e qualidade de ensino, um referencial e um marco na vida daqueles que passaram.

Os Colégios Batistas estão espalhados em todo o território nacional e Santarém tem o privilégio de ter o maior Colégio Batista de todo o Estado do Pará, recebendo alunos de todos os lugares do Brasil e até do exterior.

Este ano, não completamos apenas 64 anos de existência, mas de experiência, testemunho, de empreendimento para a sociedade santarena. Sem dúvida nenhuma podemos dizer: “até aqui nos ajudou o Senhor e por isso estamos alegres”.